1, 2 Na Dança fechando com chave de ouro!!!

O ÚLTIMO DIA DA MOSTRA INTERNACIONAL DE DANÇA TRAZ A ESTRÉIA DE UMA DAS MAIS IMPORTANTES ARTISTAS LOCAIS.

1, 2 NA DANÇA E DUDUDE APRESENTAM:

“A PROJETISTA”

Dudude – Belo Horizonte (MG)

Dia: 25/09 Domingo
Local: Teatro do Oi FuturoKlauss Vianna
Hora: 19h
Duração: 50min.
Classificação indicativa: 14 anos
Ficha Técnica:
Concepção e Interpretação: Dudude
Direção:CristianePaoli Quito (SP)
Assistência: Lydia Del Picchia
Figurino: MarcoPauloRolla
Trilha Sonora original: Natalia Mallo & Danilo Penteado
Produção:Ludmila Ramalho
Assessoria de Comunicação: Beatriz França
Foto: Guto Muniz
Sobre  trabalho:
Em plena fase de maturidade artística, Dudude se prepara para lançar o espetáculo “A Projetista”, ou melhor, um desejo de espetáculo. Em cena, a intérprete disserta todo o tempo sobre o seu possível e próximo projeto artístico. Ela projeta no espaço sempre um pouco mais adiante. Cada insinuação de dança ou pensamento são novas idéias e vontades que brotam de uma mente e corpo inquietos. “Este novo trabalho talvez seja um desabafo, um manifesto, de mais um artista criador de nosso tempo, frente aos mecanismos para se viabilizar a cultura e a arte”, diz.

Para Dudude, o artista-projetista se tornou um sintoma contemporâneo que começou nos anos 90, quando toda uma geração criadora passou a mudar a postura em relação ao mercado, organizando-se frente às exigências solicitadas, suprindo demandas e, ao mesmo tempo, tornando-se refém. Este trabalho nasce de experiências adquiridas ao lidar com os mecanismos vigentes de viabilização da cultura e da arte, cada vez mais amarrados às prestações fiscais, engessados por um controle exato.“A cultura se transformou em um bom negócio, mas para grandes empresas e instituições. Pergunto: e aquele que trabalha no campo do pequeno, que é apenas uma pessoa artista inserido no campo da curiosidade, da descoberta, da provocação? Este também é obrigado a abrir uma empresa e se transformar em CNPJ?, questiona a artista.

PROCESSO DE CRIAÇÃO

A construção de “A Projetista” obedeceu as fases por onde passa normalmente o desejo de montagem de alguma coisa: Fase 1 Projeto, Fase 2 Processo e Fase 3 produto. Essas três experimentações foram apresentadas com a intenção de compartilhar o processo do espetáculo com o público. As apresentações aconteceram em Brasília e Belo Horizonte.

A ideia de montar o espetáculo “A Projetista” nasceu exatamente no momentoem que Dududeencerrava as atividades de seu estúdio e de sua companhia BenVinda, e se preparava para uma fase de construção de novos modos operantes de trabalho: a palavra de “ordem” ou “desordem” é simplificar. Assim, Dudude se rende ao seu tamanho natural e se torna uma artista autônoma, reaprendendo a administrar a liberdade de uma pessoa só. Agora ela começa a buscar outras formas de financiar seus desejos e faz as próprias escolhas, como por exemplo, entrar ou nãoem editais. Em2010, ela sinaliza uma primeira tentativa com a fundação de um Atelier, que já nasce com esse propósito independente, prezando o encontro, o compartilhamento, a troca, o fomento e a criação.

Depois do primeiro pontapé chega a hora de por em prática “A Projetista”. Dudude se propõe a trocar de lugar e ser dirigida. A última vez que assumiu a função foi em 1995, no espetáculo Iphigenia, que teve direção de Adyr Assumpção. Dessa vez, Dudude convidouCristianePaoli Quito de SãoPaulo, diretora da Cia Nova Dança4. Aartista e Quito compartilham diversas afinidades no pensamento da arte contemporânea. “Ser dirigida por Quito é um desejo antigo, que agora se realiza”, explica Dudude. Outro bom retorno foi com Lydia Del Picchia, do Grupo Galpão, que assume a assistência de direção. As duas trabalharam juntas no Grupo TransForma, extinto em 1985, e nas produções independentes “Bing” da Cia Absurda, em 1988. Reflexões do Gesto tendo Lydia como bailarina.

Para a construção desse trabalho, a artista bebeu em fontes geradoras de potência, poetas e pensadores que alimentam e fazem lembrar do poder de imaginar, da liberdade e da simplicidade. Uma extensa seleção de livros fizeram e fazem parte da nutrição da projetista como por exemplo, Leonardo DaVinci que viveu como um verdadeiro projetista. Henry D. Thoreau preocupado com a direção que o mundo tomava, com a vida dos rios, montanhas, bichos. Gibran Kahlil com seus poemas de autonomia e liberdade; Fayga com sua delicadeza de entender a arte, a simplicidade de Tolstoi com suas histórias que revelam caráter e coragem.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s